Mande whats

(95) 99112-7188

Foto Diego DantasTrês das sete indicações assinadas por Catarina contemplam a infraestrutura e a agricultura familiar de São Luiz e Alto Alegre / Foto: Diego Dantas /As sete primeiras indicações de 2021 apresentadas pela deputada estadual Catarina Guerra (SD) contemplam os municípios de São Luiz (sul de Roraima) e Alto Alegre (Centro-Oeste), com pedidos de melhorias na área de infraestrutura, e a saúde estadual, em especial o Hospital Estadual de Retaguarda e HGR (Hospital Geral).

As sete indicações de Catarina, direcionadas ao chefe do Poder Executivo, foram lidas durante a primeira sessão ordinária do ano da ALE-RR (Assembleia Legislativa de Roraima), realizada na manhã desta terça-feira, 2, no Plenário Noêmia Bastos Amazonas.

Para São Luiz, a parlamentar solicita ao Executivo a disponibilização de um trator para ser utilizado no arado da terra pelos agricultores da Vila Moderna (Indicação nº 26/2021). Catarina também solicita a construção de três pontes de madeira na vicinal 16 de Vila Moderna (Indicação nº 27/2021).

Já para o município de Alto Alegre, a parlamentar solicita ao Executivo a recuperação da ponte de madeira da vicinal 7, localizada na vila Reislândia, região do Paredão (Indicação nº 88/2021). Conforme Catarina, essa vicinal tem uma grande quantidade de moradores e é bastante acessada, inclusive, para o escoamento dos produtos da agricultura familiar daquela região.

“O inverno rigoroso que a região enfrentou deixou a ponte em situação de risco, pois ficou encoberta pela água durante quase todo o período chuvoso, fazendo com que a madeira apodrecesse. Daí a necessidade de recuperá-la, uma vez que o acesso à região está sendo realizada de
forma improvisada pelos próprios moradores”, argumenta.

Demandas da saúde

Para a saúde estadual, Catarina Guerra solicitou ao Executivo o restabelecimento do fornecimento do remédio Fentanila (Fentanil) aos pacientes acometidos da covid-19 que estão internados no HGR (Indicação nº 68/2021).

O Fentanil é um analgésico opioide utilizado para tratar dores crônicas. De acordo com a deputada, por estar em falta no HGR, os familiares dos pacientes internados estão tendo que comprar o medicamento para conseguir amenizar as fortes dores que seus parentes estão enfrentando.

“A interrupção no fornecimento desse medicamento é extremamente danosa aos pacientes que se encontram em tratamento. Esta interrupção causa uma regressividade nos avanços alcançados, podendo levar o paciente, inclusive, a óbito, por não suportar as dores”, detalha.

Também para o HGR, Catarina solicitou a implantação de um sistema de prontuário eletrônico na unidade hospitalar (Indicação nº 87/2021). A parlamentar justifica o pedido afirmando que o hospital necessita de mais confiabilidade, segurança dos dados e agilidade nos prontuários dos pacientes.

“A principal queixa dos profissionais daquela unidade é que, quando há necessidade de acesso aos prontuários é difícil encontrá-los, pois são arquivados fisicamente, em papel, e a quantidade de documentos é muito alta, além da falta de organização nos arquivos do hospital”, aponta.

Para o Hospital Estadual de Retaguarda, Catarina solicitou a disponibilização de EPIs (equipamentos de proteção individual) e cadeiras para os servidores e usuários daquela unidade (Indicação nº 85/2021). A parlamentar também pediu o restabelecimento do fornecimento de água no hospital (Indicação nº 86/2021).

Segundo informações obtidas pela parlamentar, o serviço de abastecimento tem sido prestado de forma irregular no local, chegando a ficar sem água por vários dias seguidos sem nenhuma explicação, deixando os usuários do hospital impossibilitados até de fazer a assepsia básica, como lavar as mãos, essencial, inclusive, para a não disseminação do coronavírus.

DA REDAÇÃO